SENHOR PRESIDENTE SENHORAS E SENHORES VEREADORES

• A construção da História não é feita ao sabor dos interesses eventuais de pessoas, de
grupos ou mesmo de nações.
• A História acontece, sim, como fruto do exercício da inteligência e do esforço do
homem, sujeita, porém, ao desígnio superior de forças, naturais ou não, as quais não
consegue entender e que, manifestando-se no tempo e no espaço, são determinantes
de fatos muitas vezes incontroláveis pela própria vontade humana.
• Na História, a realidade é sempre a causa eficiente da verdade.
• As versões sempre acabam por submeter-se aos fatos, que não lhes fazem
concessões.
• E a interpretação da História tem seu ponto alto no emprego da razão, à qual devem
subordinar-se os sonhos e as paixões, os interesses e as ideologias.
• As intervenções humanas, na tentativa de desvirtuar seu curso, muitas vezes
provocam ondas de choque que abalam mesmo as convicções mais sólidas.
• Mas o tempo, que é o senhor da razão, encarrega-se de trazer à luz o que é real e
verdadeiro, restabelecendo o equilíbrio social e retomando o caminho da realidade.
• Quem conhece a história da Brigada Militar, que amanhã completa 168 anos de
existência, quem teve a oportunidade de analisar o seu passado distante, pleno de
lutas e glórias, de sacrifícios e de destemor, de honra e de virtude, certamente
estabelecerá uma relação de nexo entre as assertivas que de início fiz e o passado
recente da Brigada Militar e mesmo com o seu presente.
• Houve momentos, há bem pouco tempo, em que interesses meramente políticos,
marcados por uma ideologia perversa, pretenderam simplesmente vilipendiá-la,
ignorando a razão institucional da existência da Brigada Militar e realizando
esforços no sentido de transformá-la numa caricatura de seu ser essencial.
• Pretenderam descaracterizá-la como Força Policial Militar. Pretenderam subverter
a hierarquia e a disciplina. Pretenderam transformá-la numa corporação silente e
submissa, humilhada pela subserviência a organizações ilegalmente constituídas,
mas apoiadas por um governo ao mesmo tempo sectário, omisso e incompetente.
• Não conseguiram. Nem irão conseguir jamais.
• Pois o indesmentível espírito de corpo, mais o brio de seus integrantes, somados à
força que emana da vontade do povo e à ação da imprensa livre e dos legítimos
representantes do povo, eleitos pelo voto, não permitiram e nunca haverão de
permitir.
• Foi muito triste, um dia, ver um brigadiano assassinado, fria e cruamente, por
desordeiros, falsos agricultores sem terra.
• Mas foi mais triste ver autoridades esquecerem da vítima e de sua família, para
darem cobertura aos autores do assassinato.
Gabinete VER. JOÃO CARLOS NEDEL WPC
BRIGADA MILITAR 168 ANOS 10.11.2004
• Foi muito triste, também, ver um Comandante Geral da Brigada chegar às lágrimas,
diante das câmeras da televisão, num reconhecimento da humilhação a que se estava
submetendo a Força por todos até então reconhecida como Gloriosa.
• Felizmente, o tempo e a vontade do povo se encarregaram de realizar as mudanças
que se faziam necessárias.
• E hoje, no Governo de GERMANO RIGOTTO, sendo Secretário da Justiça e
Segurança o deputado Federal JOSÉ OTÁVIO GERMANO, a História retoma o
caminho da correção, restabelece os princípios institucionais de origem e a Brigada
Militar reassume a posição digna que lhe cabe, de direito e de fato, em meio à
Sociedade que tem por dever servir e proteger e à qual também pertence, integra e
honra.
• É muito bom ver hoje a presença da Brigada Militar, nas ruas de Porto Alegre,
cumprindo sobranceiramente uma de suas importantes missões, que é a do
policiamento preventivo-ostensivo.
• É muito bom ver os brigadianos de cabeça erguida, orgulhosos daquilo que fazem e
da farda que vestem.
• Como afirmou certa vez D. Altamiro Rossatto, Arcebispo Emérito de Porto Alegre,
“é mais fácil perceber o estrondo de uma única árvore caindo do que o silêncio de
uma floresta inteira crescendo”.
• Por isso, é comum, quando acontece qualquer problema com um brigadiano,
ouvirem-se intensos e indignados clamores, como se aquele fato, por si só, pudesse
ensombrecer a intensidade, a profundidade e a qualidade dos serviços que a Brigada
Militar presta à comunidade porto-alegrense e gaúcha.
• A Brigada é maior do que a incompreensão e do que a fugacidade do
reconhecimento e da gratidão.
• E, ao chegar aos 168 anos, pode-se vê-la como se fosse uma jovem instituição, pois
soube vencer todas as vicissitudes que se lhe apresentaram, soube adequar-se às
mudanças que a modernidade trouxe e soube e sabe apresentar-se ao serviço com
toda a força e inteligência que têm sido sua marca registrada ao longo do tempo.
• A Brigada Militar é o espelho fiel do povo do qual emana.
• E sua existência é a reprodução perfeita da sociedade que lhe deu origem: altiva,
porém ética; forte, porém honrada; serviçal, porém altaneira; combativa, porém
amorosa.
• Parabéns à Brigada Militar e a todos os brigadianos, pelos seus 168 anos.
• Que Deus abençoe a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *