BRIGADA MILITAR – TROPA DE ELITE

No próximo dia 18, a Brigada Militar completará 170 anos de existência. Nesse tempo, viu sucederem-se, no Rio Grande e no
Brasil, governos e governantes de diferentes matizes ideológicos, alguns dos quais inclusive lhe ameaçaram a natureza
organizacional, a finalidade, a estrutura e a própria existência. Sobreviveu a tudo, sem jamais se afastar do reto caminho e
registrando em sua história páginas antológicas de dedicação, de esforço, de superação e de heroísmo. Se o seu cenário de
atuação, no passado guerreiro, eram os campos de batalha, hoje o cenário é urbano ou rural. Mas nem por isso as páginas atuais
deixaram de ter aquelas virtudes. Ao contrário, elas se tornaram superlativas. Se no passado os meios de luta eram equivalentes,
lutava-se frente a frente, contra inimigos perfeitamente identificados e segundo regras que até o mais cruel e empedernido dos
adversários costumava respeitar, hoje o inimigo se esconde por trás das fachadas mais diversas, sejam elas óbvias como um
matagal ou a escuridão, sejam inesperadas como uma residência, uma instituição, um cargo público ou um terno com gravata. E,
de onde menos se espera, pode vir a ação contra a ordem e a segurança, destruindo o patrimônio, roubando vidas e
comprometendo instituições. Graças a Deus, a Brigada Militar é diferenciada também em sua tropa de elite, elite de verdade,
capaz de realizar o seu trabalho, de alta qualificação, sem precisar apelar para métodos ilegais, e, ao mesmo tempo, inspirar
confiança na população e dela receber apoio e reconhecimento. A tropa de elite da Brigada é a Força inteira. Toda a Brigada é
elite e tem sabido descartar com presteza e correção aqueles que eventualmente se afastem do reto caminho do dever e da
honra. Destaco, de modo especial, aqueles brigadianos que, no cumprimento do dever, foram mortos ou inutilizados para a vida
profissional, muitas vezes deixando mulher e filhos em dificílima situação de vida, sem se verem apoiados por quaisquer
organizações especializadas, em visível contraste com o que freqüentemente acontece quando as vítimas são assaltantes,
terroristas e outros bandidos do mesmo gênero. Nossos parabéns aos brigadianos de todos os postos e graduações, pelos 170 anos
da Corporação. Podemos todos ter muito orgulho de nossa Brigada Militar, que é tão grande quanto o Rio Grande do Sul, e dos
brigadianos, que são o povo gaúcho fardado.
João Carlos Nedel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *