Pesadelo

Cheguei até pensar em não mais dormir, ou se fizesse, que fosse com um olho aberto, pois depois que escrevi e divulguei que tive um sonho e foi um belo sonho, seguiu uma série de pesadelos. Acho que  que foi pela frustração que decorreu, quando me deparei com a realidade  e vê-la bem diferente daquilo que sonhei.

Explicações para ocorrência de pesadelos são muitas, algumas até de ordem médica e outras da crendice popular. Dizem que,  quando se excede na refeição noturna,  sobrevêm pesadelos. Li tempos atrás a Interpretações dos Sonhos do Freud e agora, por necessidade de desvendar este mistério, folhei algumas páginas. Nada conclusivo, apenas conforta-me consentir que as turbulências do dia a dia, sobrecarregam nosso encontro com os braços do Morfeu.

Mais uma perquirição: quais as turbulências relevantes que possam  intranquilizar nosso sono, o qual  deveria ser apenas restaurador? Ora, deve ser diferente para cada um, pois cada um, dimensiona o que lhe pesa mais ou menos. Sim, até reconhecidos seres felizes, de bem com a vida, são acometidos de preocupações e temores, quiçá de que até o Édem que frequentam, possa vir a ser violado pelos maus. Os aflitos, talvez pelo medo de que venha ainda mais carnês vencidos, maus resultados de laboratórios, pelo sangue, pela glicose, pelo colesterol, pela PQP,  que não aguento mais tantos exames e decorrentes restrições – meu pesadelo nesse campo é acordado!

Parece que importa indagar de onde vem o mal e como se afigura  o seu agente propulsor, capaz de com o seu agir,  tanto aos outros afligir, ao ponto de até perturbar o sono dos inocentes. Consentimos que são seres de práticas escabrosas,  que nem se permitem suscitar impedimento no julgamento de amigos e compadres. São insensíveis ao ponto de, indiretamente e pela via da corrupção, surrupiarem verbas da saúde pública, de programas habitacionais dirigidos aos sem teto, aos humildes de um modo geral; da educação, da segurança, etc. Fraudam tanto que fazem escassear até os postos de trabalhos!

Temos como alento, no entanto,  que  hoje em dia,  os maus são mais facilmente reconhecíveis, mesmo que ladeando com muita gente decente, se acham instalados nos Poderes, blindados até a eventuais especulações da patuléia e se bobearem, processam os “maledicentes” que expressam nada mais que a verdade, de que até furam teto salarial, recebem atrasados de uma só vez, sem parcelamento, enquanto fazem o pobre cidadão sofre  na espera de uma sentença,  que leva anos.

Nas Casas Legislativas, os maus, legislam em proveito próprio, auferem polpudas  aposentadorias, decorrente de pouco tempo de trabalho  e tudo o mais  que não é mais novidade, tanto quanto serão, em maioria, re-eleitos por voto de gente como nós!

Quanto ao Executivo, nada mais precisa ser dito, apenas que seus atos não sobrecarregam mais o nosso sono e nada há que se falar em pesadelo, porquanto o resultado das suas peripécias é fazer com que percamos o sono, um mal bem pior que os nossos piores pesadelos.

Saída?  Claro que tem, pois outrora muito ouvi os militares entoarem uma canção-compromisso: “ se um dia a Pátria amada for ultrajada, lutaremos com fervor”. Então basta desensarilhar as armas, desembainhar as espadas e dar curso às sábias palavras dos Generais da Reserva, para restaurar o nosso sono! Caxias, Castelo, Geisel,… por certo,  nos devolveriam os sonhos,  o sono e a crença que poderíamos repousar, pois os maus teriam sua insanidade sustada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *