Que tempos bem bicudos!

20 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista

    Pois tive que ir ao Centro, vez que sinaliza o fim do prazo para declarar o IR e sempre tem pendências que nos fazem ir ao banco, ao montepio, ao IPE e tudo o mais que não é novidade para ninguém. Excesso de zelo do Governo em relação a quem tem só uma fonte de renda, baixa, digam os servidores públicos.

    Antes da saída de casa realizei um ESAON que na linguagem castrense significa os momentos da nossa orientação no combate: Estacionei na frente do espelho para examinar a barba; Sentei para calçar os sapatos; Alimentei-me para me sentir bem no trajeto; Orientei-me segundo opção de itinerário e transporte mais seguro, tendo optado pelo ônibus, pois com um celular velho, uns  trocos meio amassados no  bolso e uma carteira de identidade, seria alvo, mas  pouco molestado pelos peraltas e Naveguei em direção aos pontos marcados na carta.

  Era tão simples ir a qualquer lugar em Porto Alegre e me dava por feliz, porque a minha pequena motocicleta me fazia ganhar tempo, mas depois de ser multado junto ao Mercado Público, onde se situa uma placa de sinalização confusa, tendente a produzir o mal aos pilotos, com evidências de ser proposital em apoio ao fisco, perdi a graça e faz mais de mês que não piloto e trato de abandonar um dos meus prazeres: visita à Banca do Holandês, um sorvete natural de café e renovar a erva mate.

   Sou amigo do Prefeito, mas ele tem muitos problemas na gestão e o dissabor de um mero contribuinte penso, em nada ajudá-lo. Ora, temos que nos dar conta que os aposentados estão fora do mercado e agora até do Mercado Público. Claro que quem me conhece sabe que o meu diálogo com o Senhor Prefeito iria além de uma multa, que sempre acho devidamente aplicada, até quando sou alvo. Ora, quem mandou sair de casa numa cidade insegura, com espaços públicos degradados, que quando se anda, o pardal pega, pois tem velocidade de tudo que que é número e os móveis, seguem como dantes, até na Ipiranga pelas redondezas da PUC, onde não tem travessia de pedestres e quando se para, se é multado!

  Como sempre digo: Porto Alegre vai cada vez mais perdendo a graça e parece que nossos administradores nunca viajaram para fora do País, onde na França, Espanha se vê motos estacionadas em calçadas amplas para não atrapalharem nem o fluxo da via nem da própria calçada; linhas de ônibus não são como o T1, cujo terminal é na Câmara de Vereadores e mesmo em insistentes pleitos, dizem tecnicamente inviável ele estender a linha até o Centro Histórico.

  Acho que cansei de Porto Alegre e isso que muito trabalhei pela nossa Capital, mesmo não sendo nativo. Mas eu ia falar da minha viagem de ônibus até o Centro, em conta da aprazível companhia do Seu Mirandolino, cujo assunto foi a Previdência e o tempo/idade para aposentadoria. Ao final me deu razão sobre minha consideração de que se aposentar cedo é ir ao encontro da morte! Do alto dos seus 83 anos e tendo me jurado que buscaria, além da lista da Dona Jureva, duas pernas de linguiça e uma porçaozinho de torresmo, sentenciou no desembarque que iria pensar nos meus ditos, pois que não eram de um todo sem razão!

    P.S. Na próxima conto o diálogo com o Seu Mirandolino.

Imagens retiradas de: https://djangogirls.org/portoalegre/;
http://www.verbojuridico.com.br/…/

20 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista

BBB (II)

11 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista

Ver primeira parte

   Ontem escrevi um texto para o Correio Brigadiano com este título: BBB.  A Globo, a despeito da bobice e despreparo, falta de visão e de educação de milhões de patrícios, sabia que muita gente culta, avessa ao politicamente correto e que consegue saber que a vida imita a arte e tudo o mais que distingue os diversos andares da sociedade, também assiste ao Programa, espia, se informa ou é informado pelas redes sociais e bate papos ao vivo. Assim, tratou ela de sustar uma má articulação e com indicativos de que pairou dúvidas quanto à lisura do resultado da última votação eliminatória.

  Além de alguns poucos milhões que olham de soslaio e enchem a boca para menosprezar seus semelhantes que externam práticas que possam arranhar o gosto da elite cultural e econômica, falsa na verdade, pois se manifestam é porque sabem, ao menos da existência do Programa e parte do enredo. Encontro-me dentre os segundos, pois assisto novela, ouço a Caiçara onde a música não pára e como a maioria esmagadora, danço em festas todo tipo de música que toca no Rádio e na TV e até contenho lágrimas, junto à família, quando o The Voice Kid ou Sênior emociona. Leio manchetes de Revistas da TV no Super, um pouco de ZH e mais do Estadão e ouço música clássica com a mesma satisfação que a um Samba tradicional ou um disco do Ray Coniff.

   Em Buenos Aires, fui a uma Casa de Tango, mas minha iniciação na dança foi em Montenegro, e fico por aqui por causa da Censura que, na época também impedia de menores frequentar bailados em alguns recantos mais afastados da Cidade. Em verdade, somos muito parecidos uns com os outros no que sentimos, pensamos e em gosto, mas nossa externação parece que vira em abismos diferenciais. A isso chamávamos, em tempos pretéritos, que era a tal da “moral de cueca” ou de “se fazer interessante”, pois no que é fundamental também atuamos nestes termos, soltando puns e olhando para o cachorro da namorada, até que a esperta sogra diga para cãozinho sair de perto para não sufocar. Realmente, o brasileiro não vive sem rádio, porque na Caiçara a música não pára, mesmo que o flagrado diga que só está ouvindo para ver as horas, mas nas Festas, integra um casal que imita muito bem danças tidas como da ralé, inobstante o Smooking, a champagne Chandon e a farta gorjeta para graçons.

    A Globo sabe tudo isso e muito mais, apenas os “almofadinhas”, “metido a bestas” podem se enganar. Diante disso, ela deu a resposta que os sensatos esperavam e demonstrou que vige no seio da sociedade, que em briga de marido e mulher, ninguém pode meter a colher e mesmo que os Movimentos para dar um basta sejam fortes, tem algumas coisas que ainda falam mais alto, notadamente a idiotice de muita gente, que aceita ser humilhada, desprezada e violentada. Tudo leva tempo, até para passar a raiva de eu tê-lo descortinado perante o mundo que lhes rodeia.

   Reconheço que o BBB é o retrato da mais alta chinelagem da conduta humana, mas ao ver o que a nossa representação política, notadamente parlamentar protagoniza, nenhuma diferença avulta. Será que isso é o verdadeiro Brasil da maioria? Enquanto não houver uma sentença final sobre isso, que nos perguntemos quem somos nós neste contexto, para onde queremos ir e o que estamos fazendo para fugir daquilo que criticamos? Por favor me deixem fora, pois o meu “me culpa” tem me tirado o sono e nem consigo mais saber se a música que ouço é sertaneja pura ou universitária!

Imagens retiradas de: http://scullybbb.blogspot.com.br/
http://www.exorbeo.com/…-brasil

11 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista

BBB

10 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista

    Podemos dizer que não assistimos o BBB, mas quando um programa dessa natureza conta com um médico, um diplomata, advogados, dona de casa, misses e demais profissões, se não gera nossa assistência assídua, ao menos uma olhadinha ou leitura de comentários no jornal e na internet. Este, em especial, tive mais contato, vez que o Diplomata é amigo de vizinhos de praia, os quais falaram muito  bem dele. Claro, caiu e os motivos parecem evidentes – há nisso um culto pela “chinelagem”, pelo maucaratismo, pela afronta aos costumes, à ética e à moral.

   A titulação, com a atuação do médico gaúcho, vem bem demonstrar que vige dito popular,  de que diploma não encurta orelha. Para alguns não passa de verniz em móvel com cupim. Ontem, em sequência a tanta atrocidade, vulgaridade, até, em tese, conduta em afronta à Lei Penal, se teve notícia, mas vítima que não se respeita, a lei não pode fazer milagres. Então, do resultado da eliminação que manteve na casa o médico, perpassou a mim, suspeita forte de fraude no resultado da votação, pois parece que a produção do programa e característica da emissora é dar curso ao esculacho, ao danoso, ao  perverso e ao que agride ao senso comum.

   Seguem em práticas controversas,  pois ao tempo em que assumem compromissos públicos de combater o bulliing, a discriminação racial, sexual e tudo o mais que se sabe, seguem humilhando os homossexuais em programas humorísticos e de mau gosto. Dizem atuar em defesa da mulher naquilo que significa enaltecimento da igualdade de gênero, dignidade e proteção da incolumidade física, moral e psicológica, no entanto, em especial neste Programa, se vê bem  o contrário, onde parece impor a vulgaridade do  ser humano. Se a votação é vontade livre e consciente de mais de 100 milhões de brasileiros, fica tudo de acordo com a escolha da nossa representação parlamentar e nos cargos do Executivo.

    Nada mais se tem a esperar, a não ser que daqui alguns dias veremos os mesmos com expressiva votações, se autodefendendo com a votação de leis que lhes perdoam crimes e seguindo em apropriação do erário em plena luz do dia. Peço encarecidamente que meus amigos não mencionem que falta educação para o povo e tudo o mais que tanto rola na boca dos demagogos, que ao invés de atuarem como papagaio, tratem de exigir mais respeito por si e pelo seus semelhantes. A educação vai de mal a pior e sem retorno a curto prazo, pois também foi apropriada por gente de nível tão baixo como os produtores do BBB,  que só sabem recolher frutos da exaltação da miséria humana, ao ponto de pessoas se permitirem tanta exposição a fragilizar até a beleza do amor e dos seus sublimes gestos, cujo recato é o seu invólucro para afastar a vulgaridade.

    Num País como o nosso, parece que nada corre isoladamente, pois ao lado dessa baixaria televisiva, temos que conviver não só com o roubo e a corrupção e o que é pior, também com fanatismo da massa ignara, dos idiotas e dos interessados, que mesmo cientes dos
maus protagonismos dos seus asseclas, correligionários e líderes, ainda tratam de defendê-los e aceitarem suas manobras espertas para afastar responsabilidades e arredar a força da lei punitiva.

Assim, descobrimos o sentido do voto popular que, ao certo, vai reeleger toda essa camarilha de políticos deploráveis, que seguirão como dantes, bem paridade de votos com o BBB, os mesmos votantes, ou se pode também desconfiar do voto eletrônico?

Ver segunda parte

Imagens retiradas de: http://bbb17.org/participantes-confirmados-bbb-17/
http://zh.clicrbs.com.br/…o-em-2016-4919198.html

10 de Abril de 2017 – nelson.pr@terra.com.br
Veja mais Textos desse colunista