Bianchini chama a atenção na tribuna para prejuízos na carreira dos Praças servidores militares estaduais

O deputado Bombeiro Bianchini, antes da votação do PLC 147, utilizou a tribuna para denunciar os graves prejuízos que os Praças têm sofrido em decorrência do plano de carreira de 1997. “Com a aprovação do novo plano de carreira em 1997, a carreira dos Praças ficou esmagada e desvalorizada. Dos 10 níveis que existiam, foram reduzidos a 4; extinguiram as graduações de Cabo, 3º Sargento e Sub-tenente e os postos de 2º Tenente, Capitão e Major. O pior, o fluxo na carreira dos Praças ficou estagnado nos últimos vinte anos; um Soldado leva, em média, 20 anos para alcançar a primeira graduação e mais de 80% da tropa é constituída por Soldados e 3º Sargentos. Para terem uma ideia, do quadro previsto para 2º Sargento das Corporações, somente 3% são ocupados, 97% estão vagos e isto prova o arroxo que as classes mais baixas da Brigada Militar e Corpo de Bombeiros estão sofrendo. A mudança dos interstícios para promoção dos Sargentos vai atingir violentamente os direitos dos 3º Sargentos e Soldados mais antigos. Agradeço o apoio dos líderes de bancadas que apoiaram minha emenda, fazendo o governo recuar para uma alteração mais amena” finalizou o deputado.
Bianchini também defendeu na tribuna a aprovação da redução do tempo mínimo para o Soldado disputar o CTSP, de 7 para 5 anos e também a percentagem de 50%/50% para as vagas do CTSP. “ É mais justo e esperamos que os cursos voltem a acontecer com mais frequência” afirmou o deputado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *