Bianchini consegue apoio de lideranças partidárias para aprovação de sua proposta em relação aos Militares Estaduais

Na reunião do Colegiado de Líderes ocorrido ontem na Assembleia Legislativa, o deputado Bombeiro Bianchini contestou a contra proposta do governo de 04 anos de interstício na promoção de 2º para 1º Sargento. Salientou os prejuízos que acarretariam aos 3º Sargentos e Soldados mais antigos, frustrando-os na expectativa de ascensão na carreira, também chamou a atenção para o arroxo que os Soldados e 3º Sargentos vem sofrendo há 20 anos em função do plano de carreira, impedindo-os de progressão regular na carreira. Pediu o apoio dos líderes partidários para sua proposta de 03 anos de interstício na promoção de 2º para 1º Sargento e prontamente teve o apoio de dois partidos da base do governo: PP e PSB e de dois partidos independentes: PDT e PTB. Com estes apoios externados obrigou a base do governo a apresentar nova proposta reduzindo o interstício para três anos, conforme desde o início defendeu o deputado.
Não é o que muitos colegas esperavam, mas foi o possível avançar em relação à proposta.

Bianchini chama a atenção na tribuna para prejuízos na carreira dos Praças servidores militares estaduais

O deputado Bombeiro Bianchini, antes da votação do PLC 147, utilizou a tribuna para denunciar os graves prejuízos que os Praças têm sofrido em decorrência do plano de carreira de 1997. “Com a aprovação do novo plano de carreira em 1997, a carreira dos Praças ficou esmagada e desvalorizada. Dos 10 níveis que existiam, foram reduzidos a 4; extinguiram as graduações de Cabo, 3º Sargento e Sub-tenente e os postos de 2º Tenente, Capitão e Major. O pior, o fluxo na carreira dos Praças ficou estagnado nos últimos vinte anos; um Soldado leva, em média, 20 anos para alcançar a primeira graduação e mais de 80% da tropa é constituída por Soldados e 3º Sargentos. Para terem uma ideia, do quadro previsto para 2º Sargento das Corporações, somente 3% são ocupados, 97% estão vagos e isto prova o arroxo que as classes mais baixas da Brigada Militar e Corpo de Bombeiros estão sofrendo. A mudança dos interstícios para promoção dos Sargentos vai atingir violentamente os direitos dos 3º Sargentos e Soldados mais antigos. Agradeço o apoio dos líderes de bancadas que apoiaram minha emenda, fazendo o governo recuar para uma alteração mais amena” finalizou o deputado.
Bianchini também defendeu na tribuna a aprovação da redução do tempo mínimo para o Soldado disputar o CTSP, de 7 para 5 anos e também a percentagem de 50%/50% para as vagas do CTSP. “ É mais justo e esperamos que os cursos voltem a acontecer com mais frequência” afirmou o deputado.

Deputado Bombeiro Bianchini protesta contra o parcelamento salarial

Na Sessão Plenária da última terça-feira (05), o deputado Bombeiro Bianchini utilizou a tribuna para protestar contra o atraso do pagamento dos funcionários públicos estaduais. Em sua fala, o parlamentar relatou a manifestação dos servidores públicos de Santiago. O ato aconteceu em frente ao 5º Regimento de Polícia Montada, como demonstração da insatisfação dos servidores pelo parcelamento dos salários e o fim das conquistas da categoria.

Bianchini comentou que os policias estão desmotivados, mesmo assim arriscam a vida todos os dias em serviço ou de folga, combatendo a criminalidade. “O salário além de ser muito pouco, mal dá para pagar todas as contas no final do mês. Qualquer centavo atrasado significa uma carga absurda de juros e endividamento”.

O parlamentar também cobrou do Governador do Estado uma alternativa para amenizar o problema, principalmente para aqueles que ganham menos, sugerindo um escalonamento no pagamento, mesmo entendendo a dificuldade financeira do Estado.

Bianchini também frisou irresponsabilidades que acarretaram essa situação. A primeira está relacionada ao governo anterior, que utilizou 7.2 bilhões do caixa dos depósitos judicias, o que gerou 1 bilhão e 80 milhões de juros pagos só no primeiro ano de mandato do governo atual. “Isso equivale ao valor de uma folha de pagamento de todo o funcionalismo público do Executivo. Não haveria problemas de caixa nos dias de hoje se o governo atual não tivesse que pagar os juros do governo anterior”.

A outra está associada à reprovação da PEC 260/2016*, que objetivava o repasse real duodécimo à Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Poder Judiciário, Ministério Público e a Defensoria Pública. “A aprovação da PEC do duodécimo significava uma economia ao Poder Executivo em torno de 700 milhões de reais. Se aprovada a PEC em 2016, não haveria este parcelamento tão severo nos dias atuais”.

Por fim, Bianchini informou que irá coletar assinaturas dos demais deputados para reapresentar a PEC do duodécimo. Conforme o parlamentar, essa ação é uma exigência da sociedade.

Comissão de 3º sargentos da Brigada Militar visita o Gabinete

O deputado Bombeiro Bianchini recebeu a visita do sargento Ferreira, Sargento Maia e da Sargento Leci, representantes da Comissão de 3º sargentos da Brigada Militar (BM), na tarde da última terça-feira (29).

Na ocasião, foi discutido o PL 147/2017, que aumenta os interstícios à promoção de nível médio, e que também altera a forma de convocação para o concurso do 2º sargento. A comitiva apresentou algumas sugestões de alterações ao PL, as quais serão analisadas pelo parlamentar.