Polícia da Luz

Publicada no Jornal Ibiá e Folha de São Borja

Mais um aumento estratosférico na conta de luz. Deu. Agora, o bicho vai pegar. As trevas vêm aí. O futuro é Black. Mas sem bloc, pra não gastar energia. Medo do escuro é coisa do passado: o que apavora, hoje, é luz acesa. E resistência de chuveiro.
Fabricantes de velas e lampiões comemoram, pois nem a tal lâmpada econômica consegue economizar mais coisa alguma. Split? Só para quem ganhou na loteria. Ou no petrolão. Contra o calor, leleque-leque-leque. E olhe lá. Nada de abanar muito forte, que aí vai suar, depois tem que carregar no desodorante, o spray atinge o ozônio, o buraco aumenta, o buraco esquenta e, aí, o que era ruim fica pior.
Toda crise traz seus profissionais de ocasião. Agora, a Polícia da Luz é a nova moda nas casas. Alguém da família (geralmente o seu mantenedor, ou mantenedora, que é quem sente a queimadura no bolso) se autoescala para exercer a fiscalização dos gastos. Se, na sua casa, ninguém consegue fazer isto, contrate um profissional especializado. O pessoal do DOPS, por exemplo, anda desempregado até hoje.
– Rá! Esqueceu a lâmpada acesa! Apague! Agora! Ou viverá no escuro para sempre.
O fiscal da luz tem que ser rígido. Sisudo. Chato. Inflexível. Um misto de Gestapo, Robocop e zagueiro do Bagé. Tem que seguir os demais habitantes da residência por todas as peças, detectar o excesso na hora e intervir imediatamente, antes que seja tarde demais e o relógio da luz gire mais que roleta de cassino. Exemplo: bater na porta do banheiro quando o banho ultrapassa o limite de dois minutos. Fundamental.
– Mas recém entrei, pai! E tô lavando o cabelo!
– Acabou. Vou desligar a chave.
– Nãããuô!.
– E amanhã, já sabe. Corte esse cabelo!
Já se sabe o resultado desses aumentos. Sob estresse, cônjuges se separarão. Sobrecarregadas de gastos, empresas fecharão. Sem TV, mais bebês nascerão (que pelo menos os namorados carregarão menos seus smartphones e, de verdade, namorarão. Isso é ruim, mas é bão). Agora, o pior de tudo, mesmo, é uma triste constatação: até aquela luz, lá no fim do túnel, pode desaparecer. E de uma vez por todas.

24 - Cap Bessi

Cap Oscar Bessi Filho